Concluída que está a sua sétima e última sessão de testes em Marrocos, o Team Peugeot Total – que conquistou os três primeiros lugares no Rali Dakar deste ano – está a postos e fortemente motivado para enfrentar a próxima edição da clássica prova sul-americana, que se disputará entre 6 e 20 de janeiro de 2018. Stéphane Peterhansel/Jean Paul Cottret, Sébastien Loeb/Daniel Elena, Carlos Sainz/Lucas Cruz e Cyril Despres/David Castera vão estar aos comandos de um novo ‘leão do deserto’: o Peugeot 3008DKR 
O ‘Dream Team’ da Peugeot vai ter pela frente 10.000 km de competição na mais difícil odisseia de resistência do mundo, que atravessa o Peru, a Bolívia e a Argentina. O percurso vai levar os concorrentes por dunas de areia, passagens de montanha e desertos ao longo das 15 etapas repletas de espetaculares paisagens e condições meteorológicas extremas. O percurso oficial do rali será confirmado pela organização do evento, A.S.O, no próximo dia 22 de Novembro.
Embora as formações do Team Peugeot Total não tenham sido alteradas para 2018, os seus carros foram amplamente modificados para maximizar o nível de performance, e têm agora um novo nome: Peugeot 3008DKR Maxi. A arquitetura de base, desenvolvida a partir da versão de Estrada do SUV Peugeot 3008 vencedor do troféu “Carro do Ano Europeu 2017”, não sofreu alterações: duas rodas motrizes animadas por um motor de 3.0 litros biturbo. Contudo, as vias foram alargadas em 10 cm de cada lado para melhorar a estabilidade, tendo também sido feitos alguns melhoramentos ao nível da suspensão, reforçando as caraterísticas de condução. Os engenheiros e os mecânicos da Peugeot têm trabalhado arduamente no sentido de proporcionar aos pilotos um carro o mais fiável possível para a difícil missão que os espera. 
Todas as quatro formações testaram exaustivamente o novo Peugeot 3008DKR Maxi, tendo realizado mais de 18.000 km de testes em Morrocos, Portugal e França. Porém, todos sabem que os novos regulamentos não favorecem o Team Peugeot Total, tendo em conta o aumento de peso mínimo imposto ao Peugeot, enquanto que os rivais viram o seu peso mínimo diminuído e têm também mais margem de manobra noutras áreas. Mas, como sempre no Dakar, o maior desafio é o próprio rali.
Entre eles, os elementos das formações da Peugeot somam qualquer coisa como 19 vitórias no Dakar, em motos e automóveis, mais 148 vitórias em troços cronometrados, o que faz deste conjunto a equipa mais bem sucedida de sempre do Dakar. Mas, apesar deste brilhante palmarés, a Peugeot mantem-se reservada em relação a perspetivas para o Dakar 2018, que assinala o 40º aniversário da prova (a qual a Peugeot venceu por seis vezes, tendo a primeira vitória ocorrida em 1987 com o Peugeot 205T16 Grand Raid), bem como o 10º aniversário do Dakar na América do Sul.
Bruno FAMIN, Diretor da Peugeot Sport     

“Até agora, as modificações que fizémos e que deram origem ao 3008DKR Maxi têm dado excelentes resultados, mas o Dakar é sempre uma enorme incógnita devido à enorme variedade de terrenos e desafios a vencer; além disso, o recente Rali de Marrocos alertou-nos, mais uma vez, que os nossos adversários são extremamente fortes. No que respeita à preparação dos nossos carros, os engenheiros da Peugeot Sport têm sido incansáveis no seu trabalho ao longo de todo o ano. Acima de tudo, gostaria de sublinhar o excelente espírito de equipa que temos no Team Peugeot Total. Estamos muito satisfeitos por mantermos o nosso ‘dream team’ de formações no próximo Dakar, o que nos garante uma combinação perfeita de ‘performance’ e experiência. Dado que este vai ser o último Dakar para a Peugeot, gostávamos mesmo de encerrar em beleza esta nossa incrível campanha. Mas como sempre, nada está garantido à partida. Depois de se ter vencido, a coisa mais difícil que existe é vencer outra vez.”

Stéphane PETERHANSEL, Piloto do Team Peugeot Total

“A sensação de vencer outra vez o Dakar no ano passado foi absolutamente fantástica: senti uma enorme libertação. Depois da intensa, mas respeitosa, batalha com o Sébastien, ficou mesmo como uma das melhores recordações da minha carreira. O problema é que quanto mais vezes vencemos, mais queremos vencer outra vez! Este ano vai ser ainda mais especial, pois é a 40ª edição da prova e a minha 299ª participação. Se será ou não a minha última participação, ainda está por decidir. Para mim, o Dakar é mesmo uma questão de equilíbrio, como se fosse um ritual que dura o ano inteiro. Recarregamos as baterias, preparamo-nos física e mentalmente. A tensão começa a aumentar por volta de setembro e transforma-se em pura emoção em dezembro, quando a única coisa em que pensamos é arrancar e fazer quilómetros, e quando as coisas começam, a única coisa que nos passa pela cabeça é andar a fundo. Para mim, é algo de realmente único poder conduzir por estas paisagens magníficas, sempre a fundo num carro tão espetacular. O Peugeot 3008DKR Maxi é, pura e simplesmente, o melhor carro que alguma vez conduzi. Tem imensa tecnologia, como as peças em fibra de carbono que compõem a sua estrutura, aliada à fiabilidade, è performance e ao puro prazer de condução. Para nós no Team Peugeot Total, o objetivo é fazer com que a Peugeot vença outra vez e encerrar o nosso programa na forma mais positiva possível.”

Sébastien LOEB, Piloto do Team Peugeot Total         

“O meu estilo de condução adapta-se bem a esta disciplina, tenho apenas de mostrar mais consistência e transformar isso em vitórias na classificação geral. Sabemos que estamos perfeitamente nesse nível e já o provámos ao longo do ano no Dakar, no Silk Way e também no Rali de Marrocos. Todavia, temos somente um total de seis rali-raides no nosso curriculo, por isso, temos sempre menos experiência do que os nossos rivais. O 3008DKR era já um excelente carro, mas como queremos sempre performance, os engenheiros da Peugeot Sport foram mesmo até aos limites no desenvolvimento do novo Peugeot 3008DKR Maxi. É um carro fiável que pode ir a todo o lado e aguentar com tudo: tem uma condução excelente e e transmite-me imensa confiança. O carro evoluiu mas também eu e o Daniel progredimos bastante. Melhorámos em todos os aspetos. O Dakar é, por natureza, altamente imprevisível, por isso temos de aproveitar todas as vantagens ao nosso alcance e lutar pela vitória.” 

Cyril DESPRES, Piloto do Team Peugeot Total    

“Acho que a minha preparação para o Dakar tem sido sempre a mesma ao longo dos últimos 17 anos, ou seja, com muito treino físico: até agora, estou bastante satisfeito, e os testes que terminámos agora em Marrocos vieram confirmar o bom ‘feeling’ que tenho do carro. Quando passamos entre seis a oito horas no carro, faz toda a diferença se estamos ou não em boa forma física. Depois das boas participações que tivemos no Dakar e no Silk Way, para mim e para o David, as expectativas são grandes. Estou muito satisfeito com os progressos que fazemos a cada ano que passa. O meu objetivo é manter esta curva ascendente no Dakar 2018. Este ano, terminámos o Dakar em terceiro lugar, portanto temos apenas duas opções para melhorar o nosso resultado na prova, e vamos ter certamente uma ‘performance’ melhor. Estamos a conta com um Dakar mais ao estilo rali-raide, com situações complicadas de navegação logo à partida no Perú. Tudo aponta para um rali mesmo muito difícil dada a complexidade do percurso e também pela qualidade dos nossos adversários. Contudo, devo dizer que estou mesmo apaixonado pelo novo 3008DKR Maxi. Desde 2014 que vimos testar com a Peugeot para Marrocos, e este Maxi é, sem qualquer dúvida, o carro mais rápido que tivémos. Gosto especialmente da estabiIidade do carro, mas estou igualmente bem impressionado com a potência e a fiabilidade. Embora o carro que tínhamos no Silk Way Rally fosse bom, este carro está um passo à frente. Os engenheiros trabalharam sem parar, mal posso esperar por estar na estrada.”

Carlos SAINZ, Piloto do Team Peugeot Total         

“Para já, estou muito confiante. Os testes correram bem, especialmente depois do Rali de Marrocos. Embora não tenhamos ganho, este rali foi muito positivo para nós porque descobrimos problemas que, de outra forma, poderiam vir a afetar-nos no Dakar. Ter um bom nível de consistência é extremamente importante no Dakar, e penso que em Marrocos conseguimos encontrar o ritmo certo, portanto, foi uma boa preparação. As nossas expectativas e a nossa preparação para o Dakar são as mesmas de sempre. Desde setembro que nos concentramos a a 100% em estar numa boa condição fisica, preparando-nos para a altitude de certas zonas do percurso. Nos últimos anos, temos mostrado sempre que somos suficientemente rápidos para vencer o Dakar; desta vez, temos apenas de ter um pouco mais de sorte. Estou absolutamente convencido das potencialidades, rapidez e fiabilidade do novo Peugeot 3008DKR Maxi. Desde que falámos no assunto logo a seguir ao Dakar, em janeiro, a evolução do carro tem estado a correr muito bem. Os engenheiros do Team Peugeot Total fizeram um trabalho incrível, e acho mesmo que a equipa e os pilotos estão este ano mais satisfeitos do que no ano passado. Está tudo preparado e a postos, portanto aguardamos ansiosamente pela partida no Peru. Os regulamentos mudaram, beneficiando agora os veículos de quatro rodas motrizes, o que, obviamente, não nos facilita a vida. Mas estou totalmente confiante nas capacidades da nossa equipa.”



Comunicado Oficial