Os próximos dias 8 e 9 de Setembro (sexta e sábado) vão ser extremamente animados na região de Idanha-a-Nova. A vila da Beira Baixa volta a receber uma prova pontuável para o campeonato nacional de todo-o-terreno. Depois de quase três meses de interrupção, a Escuderia de Castelo Branco coloca no terreno a sua segunda prova da especialidade nos calendários oficiais e depois da Baja TT do Pinhal, o clube albicastrense concentra todos os seus meios na Baja da Idanha, ronda que assume um papel crítico na definição das classificações, seja nas motos, nos quads ou nos SSV.
A Baja da Idanha, quinta jornada da época, apresenta um formato semelhante a temporadas anteriores e com centro nevrálgico na vila, o parque de assistência e a área de partidas e chegadas do prólogo e dos sectores selectivos localizam-se junto ao Santuário de Nossa Senhora do Almurtão
Entre as motos, quads e SSV o prólogo é percorrido apenas uma vez e o primeiro a arrancar vai fazê-lo às 14h20. Ainda na sexta-feira, disputa-se o primeiro sector selectivo. São 75,84 quilómetros com partida definida para as 16 horas. No dia seguinte estão reservados os 261,56 quilómetros do segundo sector selectivo.
Para Hélder Esteves, director de prova de motos, quads e SSV,

“...estão reunidas as condições para que esta prova marque o campeonato nacional de 2017. A equipa da Escuderia Castelo Branco trabalhou bastante nos últimos meses para que concorrentes e espectadores tenham uma grande corrida no reinício da competição”.

A lista de inscritos para a Baja da Idanha ainda não está fechada, mas o número de concorrentes que já garantiu a sua presença cria grandes expectativas para estes dois dias do melhor todo-o-terreno em Portugal. Para além dos principais candidatos à vitória e à conquista dos respectivos títulos, o lote de participantes que aceitou o desafio de enfrentar as pistas de Idanha-a-Nova é considerável.
Nas contas do campeonato António Maio leva para Idanha cinco pontos reais de vantagem para Sebastian Buhler - o regulamento estipula que o pior resultado deve ser descontado - e com as vitórias divididas apenas entre ambos até ao momento, Maio tem três e Buhler as restantes duas, deverá ser entre estes que mais uma vez se discutirá o primeiro lugar, com Mário Patrão a ser o grande candidato ao terceiro posto onde já terminou por três vezes este ano.
Nos Moto4 o título já está nas mãos de Arnaldo Martins, que estará em prova para tentar a vitória em termos internacionais pois a prova pontua igualmente para a Taça do Mundo de Bajas e para o campeonato europeu da mesma especialidade.
Ao ser o único piloto entre os que lutam pela vitória na sempre animada classe dos SSV, Bruno Martins defende seis pontos de vantagem no topo da classificação do campeonato face a Ricardo Carvalho. Com quatro vencedores em cinco provas o campeonato será decidido apenas na derradeira ronda do ano, mas em Idanha-a-Nova um mau resultado pode condicionar por completo a temporada. 11 pontos separam o segundo do sétimo classificado e por isso é de prever ataques ao longo dos dois dias de competição.





Comunicado oficial FMP