Rali TT Dunas 2020

 

2020 começou em Grande.
Um grande desafio para a organização e para os pilotos.
Nunca organizámos uma prova no deserto, nas dunas.

O receio com um acidente grave levou-nos a procurar dunas mais acessíveis e sem grande perigo.
A reclamação por parte dos pilotos foi a extensão da Especial. Queriam mais quilómetros. Para todos foi uma primeira vez e única.
Para o ano vamos voltar com maior extensão e segurança.
A prova decorreu a sul do Tômbwa em pleno deserto do Namibe no interior do Parque Nacional do Yona.
Conseguimos todas as autorizações para o efeito, inclusive a nova gestora do Parque homologou o percurso.
O Governo Provincial deu todo o apoio através da Policia Nacional, Bombeiros, Saúde, etc. O Sr. Governador Archer Mangueira fez questão de cumprimentar todos os concorrentes antes de entrarem para o deserto no Tômbwa. A Vice-Governadora Maiza Tavares acompanhou toda a caravana durante o 1º dia da prova.
O nosso parceiro Yona Safaris, montou o espectacular acampamento, apresentou-nos o deserto e ajudou a elaborar o percurso que ficou com cerca de 10 km para o Prologo e cerca de 30 km para a Especial. Bem haja Tedy Gomes.
Compareceram 13 pilotos sendo 7 da Província de Luanda, 2 do Huambo, 1 da Huila e 3 do Namibe. Por curiosidade, o local da prova estava a cerca de 1300 km de Luanda.
Várias estreias absolutas com o Alexandre Silva (Luanda – Classe M), o Domingos Senguefe (Namibe – Classe M) e Edgar Bartolomeu (Namibe – Classe Q).
E os regressos de Jason Santos (Huila – Classe E) e José Roxo (Namibe – Classe TT).
A Classe M continua este ano a ser a Classe Rainha com o maior numero de participantes. João Catarino (KTM SXF 350), campeão 2019, foi o Rei nas dunas mas com Alexandre Silva (KTM EXC 450) muito perto. Vamos ter Campeonato. Alexandre Ferreira (KTM EXC 450) ocupou o lugar vago do pódio após as primeiras adaptações às areias das dunas. Domingos Senguefa teve problemas com a Honda CRF 450 na 1ª Especial mas depois andou bem e terminou em P4. Carlos Seixas veio do Huambo para voar nas dunas com a sua Kawasaki KLX 450. Seguiu o trilho errado e teve que voltar para o Namibe de ambulância sem nada de grave para além das dores no peito provocado pela pancada ao aterrar. Rápidas melhoras e esperamos vê-lo no Cacuaco.
Milton Guedes (Yamaha Raptor 700) foi o mais rápido em todas as Especiais, excepto numa (perdeu-se). Paulo Trindade aproveitou e ganhou a Classe Q, mesmo com a Honda TRX 450 a falhar. Edgar Bartolomeu não teve sorte na sua estreia porque a sua Yamaha Raptor 700 não quis colaborar. Bem tentámos pô-la a trabalhar. Mas vai voltar.
Só 2 jipes para a Classe TT. Alexandre Lopes ganhou e ganhou bem com o Land Rover Defender. José Roxo/Fernanda aproveitaram a presença do Mitsubishi Pajero da Viprangola disponível e foram fazer o gosto ao pé.
Também só 3 Polaris. João Lota/Nuno Santos navegaram nas dunas com o Polaris 1000 KLR EVO e ganharam. Hamilton Gonçalves com o 900 geriu e divertiu-se. Jason Santos regressou aos ralis com o 1000 e andou depressa até a direcção abrir.
Uma palavra Especial para a CARGOPLUS do Grupo Facar (Angola) que transportou as viaturas de Luanda até ao Tômbwa.
Um agradecimento Especial para o Sr. Alvaro Santos da Associação Provincial de Desportos Motorizados do Namibe que se distribuiu em contactos com os membros do Governo Provincial.
A segurança da prova teve o apoio do Miguel Raposo, Constantino Queirós, Pedro Santos que cobriram o percurso com comunicações via rádio.
A Pumangol e a Puma Lubricants vão ser nossos parceiros até ao final do ano.
A Robert Hudson mais uma vez disponibilizou uma viatura Ford Ranger para a segurança do rali.
Voltámos a contar com os apoios da PrintLab, CIFRAL e Quatenus

 

Comunicado: Pedro Cristina

Foto: Célio Sousa

AUTOMOVEIS
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20

Don't try this at home